REVOLTADOS COM O GOVERNO,MAIS DE 1,5 MILHÃO DE BRASILEIROS PEDEM IMPEACHMENT DE DILMA


Revoltados com o governo, mais de 1,5 milhão de brasileiros pedem impeachment de Dilma

Bruno Menezes, do site Epoch Times, denuncia que o site de petições on-line Avaaz congelou as adesões à petição pelo impeachment da presidente. Como há outra petição hospedada em outro site, com quase 60.000 assinaturas, o número ultrapassa o 1,5 milhão. Veja o texto de Bruno Menezes:
Sites de petição on-line já somam mais de 1,5 milhão de assinaturas pedindo o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Só o website Avaaz, administrado por petistas, contabiliza 1.483.967 adesões. A plataforma no Brasil é chefiada pelo militante petista Pedro Abramovay e denúncias de manipulação dos resultados têm sido feitas por internautas indignados à sede da ONG, em Nova York, nos Estados Unidos. O site Petição Pública hospeda proposta idêntica que já soma 57.535 assinaturas.
Genro do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, Abramovay também ocupou cargo de assessoria no Ministério da Justiça no governo Lula. Como secretário nacional antidrogas, no governo Dilma, defendeu a descriminalização de pequenos traficantes. Uma das manobras acusadas por internautas é o congelamento de adesões. A ONG alegou excesso de tráfego, apesar de as demais petições na mesma plataforma, ao contrário, atualizarem os números em tempo real.
Outros sites como o change.org, o abaixoassinado.org e fraudenasurnas.com também já possuem petições e abaixo-assinados pelo impeachment de Dilma. Já o site euconcordo.org pede intervenção militar constitucional.
Em novembro e dezembro de 2014, milhares de brasileiros foram às ruas denunciar fraude eleitoral e pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff pelos sucessivos escândalos de corrupção e pela subordinação política do país a entidades e governos estrangeiros como o Foro de São Paulo e o regime cubano.

O site Avaaz manifestou-se sobre a petição, publicando uma declaração pública em que afirma que não retirou a petição do ar apesar de acreditar que a maioria dos membros de sua comunidade não a apoia:
A Avaaz é uma organização cívica com mais de 39 milhões de membros ao redor do mundo. A seção Petições da Comunidade no site da Avaaz permite que qualquer membro crie petições sobre qualquer tema que for importante para ele ou ela. As opiniões expressadas no site Petições da Comunidade não necessariamente representam a visão da organização ou do restante da comunidade da Avaaz.
Em maio de 2013, um membro brasileiro da Avaaz criou uma petição pedindo o impeachment da Presidente Dilma Rousseff. A Avaaz é uma comunidade voltada e 100% financiada pelos seus membros. Sempre que há discordância entre os membros sobre uma petição considerada polêmica, pedimos que a própria comunidade vote se a petição deve permanecer online ou se deve ser retirada do ar.A Avaaz indagou a um grupo representativo dos seus membros brasileiros sobre a petição. Os resultados preliminares mostram que a maioria dos membros não apoia tal petição, mas também acredita que ela não deve ser retirada do ar. Essa decisão é consistente com o histórico de nossa comunidade de apoiar a discussão de temas controversos e dar espaço para o debate deliberativo. Portanto, a pesquisa mostra que a comunidade da Avaaz em sua maioria não apoia uma campanha pelo impeachment da presidente Dilma. Somos uma organização democrática, e a maioria dos brasileiros acabou de votar e re-eleger a presidente Dilma Rousseff. De fato, nossa comunidade, que inclui muitos dos eleitores de Dilma e Aécio, refuta a petição de tal forma que até agora 46% da comunidade solicitou que a petição fosse tirada do ar. Entretanto, é preciso o apoio da maioria (acima de 50%) para que qualquer conteúdo da seção Petições da Comunidade seja retirado do ar.

Fonte: Folha política

Postagens mais visitadas deste blog

CRISE FINANCEIRA NO BRASIL : UM MILHÃO DE FAMÍLIAS ENTRARÃO PARA AS CLASSES "D" E "E" ATÉ 20025

PARALIMPÍADA CEREBRA UNIÃO E CONSAGRA CAPACIDADE DO BRASIL

SAIBA QUAIS AS 10 FORÇAS ARMADAS MAIS PODEROSAS DO MUNDO - BRASIL ESTÁ EM DÉCIMO QUINTO LUGAR